Experiência de Fé do Mês

Experiência de Fé - Abril de 2019

Data: 07/04/2019
Por:
Editoria: Experiência de Fé do Mês

Srta. Taiana Pereira Matos - Igreja Vitória

Tenho 27 anos e, atualmente, dedico como responsável jovem no Johrei Center Guarapari, ligado à Igreja Vitória, no Espírito Santo.

Gostaria de compartilhar como as purificações que enfrentei foram importantes para mudar minha forma de enxergar a vida e descobrir a alegria que é servir à Obra Divina por meio da salvação de pessoas.

Aos oito anos de idade, fui diagnosticada com leucemia e precisei ser submetida à tratamento de quimioterapia.

Na época, uma professora da escola onde estudava, sabendo da doença que me acometera, deu-me um pequeno arranjo floral, conversou com minha mãe e ofereceu assistência religiosa com Johrei.

A partir de então, essa missionária passou a ir todos os dias à minha casa para ministrar-me Johrei e, sempre que possível, minha mãe me levava à igreja.

Prossegui recebendo Johrei quase que diariamente e fazendo o tratamento médico até os 13 anos, quando obtive a cura total da doença.

No entanto, devido ao longo tempo fazendo tratamento quimioterápico, acabei desenvolvendo uma doença coronariana que, posteriormente, evoluiu para um quadro de insuficiência cardíaca severa.

Alguns anos depois, apresentei vários tipos de arritmias e precisei passar por três procedimentos cirúrgicos, que não solucionaram o caso por completo.

Aos 17 anos fiquei grávida e minha gestação era considerada de risco pelos médicos que me acompanhavam.

Havia grande possibilidade de eu não suportar à gestação e de meu filho sofrer com sérias complicações.

Recebi assistência de Johrei intensiva durante toda a gravidez e, contrariando todas as expectativas, não tive nenhum problema e meu filho nasceu saudável.

Foi neste período que minha mãe e eu, enfim, decidimos ingressar na fé messiânica, recebendo a medalha da Luz Divina (Ohikari).

Apesar do quadro de purificação de saúde seguia minha vida normalmente. Cuidava do meu filho, trabalhava, fiz faculdade e assumi a missão de responsável jovem do johrei center.

Em dezembro de 2017, descobri que, devido à insuficiência e às arritmias, meu coração começou a entrar em falência, diminuindo sensivelmente sua capacidade de funcionamento.

Passei a me sentir muito cansada a ponto de, em alguns dias, não conseguir, sequer, sair da cama.

Resignada, acreditando que, a qualquer momento, eu morreria, havia desistido de tudo que conquistara até então: faculdade, trabalho, vida social, dedicações. Minha vida perdeu o sentido e acabei entrando em um estágio depressivo.

Em maio de 2018, já muito debilitada, fui hospitalizada em estado grave. Naquele momento eu contava com apenas 20% do meu coração em funcionamento. Respirava com ajuda de aparelhos e mal conseguia andar, falar, tomar banho sozinha ou até pentear os cabelos.

Implantei um desfibrilador no coração - aparelho que automaticamente dispara choques em caso de arritmia ou parada cardíaca - e fui encaminhada para a fila do transplante.

Nesse período, recebi assistência incansável do grupo de jovens, missionários e ministros, totalizando uma média diária de sete horas de Johrei.

Percebendo minha revolta e desânimo, o ministro me orientou a me esforçar para agradecer a Deus mais um dia de vida, todas as manhãs.

Recebendo Johrei e buscando manter o espírito de gratidão, meu sentimento começou a mudar e fui recuperando a vontade de viver.

Pedia a Deus que me tirasse o apego e me desse vida, enquanto eu pudesse ser útil para cumprir minha missão de acordo com a Sua vontade.

Em poucos dias, comecei a melhorar e, surpreendentemente, fui liberada dos respiradores muito antes do tempo previsto.

Fiquei muito feliz ao conseguir subir uma escada sozinha e percebi que Deus estava me concedendo uma nova vida para servir em Sua Obra.

Após 45 dias de internação, recebi alta e voltei para casa.

Fui orientada pelo ministro que, mesmo que não conseguisse ir à igreja, eu deveria trazê-la até mim.

Fiquei pensando em como eu poderia ser útil a Deus mesmo no estado de purificação em que me encontrava.

Tenho muitas amigas e passei a receber visitas de algumas delas que vinham me prestar solidariedade.

Durante nossas conversas, percebia que a maioria estava passando por sofrimentos. Ouvia seus desabafos, contava as experiências que havia vivenciado dentro da Igreja Messiânica e oferecia-lhes Johrei.

Minhas amigas não entendiam como eu poderia estar tão bem-humorada, dizendo coisas positivas e, ainda, oferecendo auxílio, mesmo em uma situação de saúde tão delicada. Elas comentavam que eu as motivava e que gostariam de conhecer mais a respeito da minha fé.

Tive a ideia de realizar reuniões em casa, em que convidava amigos, vizinhos e familiares. Nessas ocasiões, contava com a ajuda do grupo de jovens, que vinha para ministrar Johrei aos frequentadores que chegavam. Dessa forma, minha casa se tornou, de fato, um pequeno Johrei Center.

Após aproximadamente três meses, já mais recuperada e fortalecida, retornei às atividades normais e reassumi as dedicações como líder jovem.

Criei um perfil em uma rede social que, em pouco tempo, já conta com quase 7.500 seguidores. Publico Ensinamentos, falo sobre agricultura e alimentação natural, altruísmo e compartilho as mudanças que Deus e Meishu-Sama vêm operando em minha vida.

Dessa forma, algumas pessoas manifestaram interesse pelo pensamento de Meishu-Sama e várias delas já foram conhecer a igreja.

Ao retornar às consultas de rotina, fomos surpreendidos com a excelente notícia que eu estou há mais de seis meses sem nenhuma arritmia e, segundo o médico, houve uma melhora significativa no quadro clínico.

Meu coração aumentou de 20 para 37 por cento sua capacidade de funcionamento.

Estou mais bem-disposta, consigo subir e descer escadas sem me cansar, realizo as atividades diárias e as dedicações normalmente e estou até praticando hidroginástica.

Esses fatos causam espanto à equipe médica, pois, habitualmente, uma pessoa nessas condições cardíacas não pode realizar esforço físico por menor que seja, chegando a, não raro, necessitar do auxílio de cadeira de rodas para se locomover.

Recentemente, recebi mais uma grande graça, agora no campo profissional. Sendo bacharel em Direito, passei no concurso da procuradoria-geral do estado do Espírito Santo na função de residente jurídico, e estou aguardando ser chamada para assumir o cargo.

Sei que ainda estou em processo de recuperação, mas hoje, sinto verdadeira gratidão por todas as purificações que enfrentei até hoje, pois elas me aproximaram de Deus e me tornaram uma pessoa melhor; mais sensível aos sofrimentos do próximo e atenta às oportunidades de praticar o amor altruísta ensinado por Meishu-Sama.

Além disso, foi através delas que Deus me utilizou para mudar a vida da minha família e a de muitas outras pessoas.

Descobri o sentido da vida ao experimentar a alegria que é fazer as pessoas felizes e nunca mais vou querer deixar de sentir esse gosto.

Meu compromisso é enquanto respirar, servir à Obra Divina empenhando-me na salvação da humanidade por meio da difusão do Johrei, dos Ensinamentos de Meishu-Sama e das práticas messiânicas que mudaram minha vida.

Agradeço a Deus, a Meishu-Sama e a todas as pessoas que estiveram comigo, oferecendo seu tempo através da assistência religiosa, que me possibilitou estar aqui hoje, no altar deste Solo Sagrado, compartilhando esta experiência de fé.

Muito obrigada.